No primeiro artigo da série, fizemos uma breve introdução sobre DataViz, visualização de dados em prol da tomada de decisão. Comentamos seus desafios na era digital e a importância do Cientista de dados nesse processo.

Neste artigo abordaremos o tema gramática dos gráficos e como esse conceito faz toda a diferença no momento que você precisa transformar seu conjunto de dados em gráficos e passar, claramente, a mensagem aos executivos e gestores.

Podemos imaginar que o trabalho de transformar grandes conjuntos de dados em um único gráfico ou visualização não é fácil. Não se engane em pensar que DataViz, visualização de dados, é simplesmente criar um gráfico. DataViz é muito além disso.

Construindo gráficos

Qualquer ferramenta de BI disponível hoje em dia traz, ao seu usuário, diversos tipos de gráficos. Barra, linha, pontos, bolhas, cone, dispersão e entre outros. O grande desafio é saber qual gráfico escolher e a composição mais adequada de seus elementos. O sucesso dessa atividade fará uma enorme diferença na demonstração visual das informações aos tomadores de decisões.

Os elementos dos gráficos nada mais são que camadas, ou seja, os gráficos são compostos por diversas camadas, cada uma com sua especificidade, que complementam a visualização do gráfico. A escolha correta desses elementos são essenciais para chegar ao resultado ideal do gráfico e obter a resposta correta.

 

Gramática dos Gráficos

Elementos da gramática dos gráficos

Há um consenso na comunidade de Cientista de dados que existem, basicamente, 7 elementos ou camadas que compõem a gramática dos gráficos. Os elementos são:

Dados: Conjunto de dados.
Estética: A escala em que o dado foi mapeado, relacionamento, tamanho e formato.
Geometria: Os elementos visuais e geométricos como: pontos, linha, faixa, área, barra, texto e outros.
Facets: A quebra do gráfico em diversas porções
Estatística: A representação e análise dos dados.
Coordenadas: A área que o gráfico será construído.
Temas: Visão geral do gráfico.

Cada um desses elementos formam camadas sob o gráfico, com seus respectivos atributos e importância. O processo de criação de um gráfico precisa avaliar a utilização correta de cada elemento. Tomar ações como incluir diversas camadas do elemento geometria, transformar o gráfico em porções menores e facilitar o entendimento (facets) e entre outras.

Comunicando os resultados ao tomadores de decisões

A criação de um gráfico para dar suporte à tomada de decisão é muito além do que simplesmente criar um gráfico. Envolve um processo de análise de dados e avaliação de diversos fatores. Assim como a forma que a história desses dados serão contadas aos tomadores de decisões.

Além do gráfico ter que ser criado com os elementos corretos, também há a necessidade de contar a história dos dados de forma coerente e profissional. Para esse fim é muito utilizado o conceito de Storytelling, mas esse assunto é tema do próximo artigo.