Em pesquisa abordada pelo livro “Introduction to materials management” mostra que o estoque pode representar de 20% a 60% dos ativos no balanço patrimonial. Praticamente, estamos falando de ativos imobilizados que só geram desperdícios e oneram a saúde financeira da empresa.

 

Pensar em maior eficiência industrial e eliminação de desperdícios, logo, pensamos no sistema Toyota de produção, ou seja, o Lean Manufacturing (https://pt.wikipedia.org/wiki/Lean_manufacturing). Conheça agora os 5 indicadores para controle de estoque baseado no Lean.

 

Estoque

O estoque está presente em praticamente todas as indústrias e sistemas de manufatura. Ele deve ser entendido como uma importante ferramenta cujo objetivo é garantir a estabilidade do sistema de produção, com peças de reposição e pronta entrega de alguns produtos.

 

Claro que todo essa estrutura de reposição e qualidade envolve um custo associado, eis que o Lean Manufacturing atua para deixar esse custo no nível mínimo possível e com alta qualidade.

 

Lean Manufacturing

 

O Lean Manufacturing, traduzível como manufatura enxuta, e também chamado de Sistema Toyota de Produção é uma filosofia de gestão focada na redução dos sete tipos de desperdícios (super-produção, tempo de espera, transporte, excesso de processamento, estoque, movimento e defeitos). Eliminando esses desperdícios, a qualidade melhora e o tempo e custo de produção diminuem.    

 

Nesse artigo iremos focar no item estoque: Elevados níveis de estoque de matéria-prima, material entre processos e produtos acabados

 

O Controle de estoque ideal!

O controle de estoque ideal é aquele que consegue balancear entre o tamanho mínimo necessário para atender a demanda do item no tempo, no local, na quantidade desejada e sem faltas de estoque, com o custo de obtenção, de manutenção e de preparação de pedidos em um nível ótimo de serviço.

 

Listamos os 5 indicadores essenciais para atender esses requisitos de controle de estoque.

 

Indicadores de Controle de Estoque

 

  1. Índice de atendimento de demanda

 

Pode ser definido como o percentual de demanda satisfeita durante um ciclo de reabastecimento do estoque.

 

A falta de estoque pode acarretar na não realização da venda, imagem negativa da empresa, ou até mesmo a perda do cliente.

 

2. O giro do estoque

 

Representa a quantidade de vezes que o capital investido em estoque é recuperado por meio das vendas. Por uma análise física, significa a quantidade de vezes que o estoque médio é vendido ou consumido e precisa ser reposto, ou seja, sua rotatividade.

 

O estoque pode ser traduzido em valores e quanto mais rapidamente estes valores se convertem em lucro, melhor será para a empresa.


 

3. A acurácia do estoque

Indica o grau de precisão da formação do estoque para atender as demandas, sendo “um indicador da qualidade e confiabilidade da informação existente nos sistemas de controle”

 

É calculado como a divisão entre o estoque físico e a informação sobre o estoque no sistema. Quanto mais próximo de 100% melhor, e se estiver abaixo de 99% já deve despertar alertas

 

4. As perdas no estoque

As perdas do estoque ocorrem pelo excesso de estoque, furtos, da falta de qualidade dos itens produzidos e estocados, ou até mesmo pela desconformidade do produto com as características de projeto.

 

Além dessas, temos as perdas de movimentação, onde pode ocorrer no transporte dos produtos entre os diversos estágios produtivos, como também a movimentação dos operadores para a produção.

 

5. O lead time de entrega

O lead time produtivo é o somatório de todos os tempos consumidos desde o recebimento do pedido de venda até o término da produção do bem. Nele estão incluídos os tempos de espera, processamento, inspeção e transporte para estocagem. O Lean Manufacturing foca a redução do lead time total através da redução das atividades que não agregam valor ao produto, o que possibilita eliminar diversas formas de desperdícios.

 

Como manter e gerenciar todos esses indicadores?

Podemos ver a importância desses 5 indicadores para o controle de estoque. Agora sempre nos esbarramos em implementar esses indicadores, ou seja, ter uma forma fácil, rápida e dinâmica para acessar seus dados e ver qual o resultado em cada indicador.

 

Muito dessas barreiras é devido ao grande volume de dados, com diferentes áreas envolvidas e diferentes sistemas produtivos.

 

Por isso é aconselhado que se use uma ferramenta de BI, Business Intelligence, que possui extrema capacidade de lidar com grandes volumes de dados de diferentes fontes de informações.

 

Qlik Sense como ferramenta de BI

O Qlik Sense possui uma alta tecnologia de associação de dados totalmente inovadora. O universo de soluções Qlik possui um vasto portfólio de conectores que facilitam e agilizam a integração com sistemas ERP, sistemas legados e produtivos da empresa. Esse recurso diminui e muito os esforços em trazer as informações que estão nos diferentes sistemas e áreas de trabalho.

 

Com o  Qlik Sense Com ele torna-se possível acompanhar, em tempo real, o resultado dos indicadores de desempenho. Basta acessar a ferramenta. Simples assim.


Considere o Qlik Sense como ferramenta de BI, faça efetivamente o controle de estoque e tome as decisões certas em sua organização.